terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Navegando



Não sou marinheira
Nem de primeira e nem de última viagem.
Por isso sei que posso ser sua companheira
Nessa nau rumo ao prazer sem passado-bagagem.
Não quero ser sua clandestina a vida inteira.
Quero amar sem prestar atenção na paisagem.
Posso te fazer encontrar a alegria verdadeira
Com amor e pura sacanagem.
E pra não dizer que sou só uma aventureira
Seguro bem sua ‘vela’ se um pirata, tentar fazer abordagem.
Dentro da nau serei seu mar de brincadeira
Te incentivo a coragem
De enfrentar minha brava maré de lua guerreira.
Se me percorres de popa a proa com libertinagem,
até esqueço que nosso mar pode ser água de uma simples banheira
Onde: “qual cisne branco que em noite de lua vai navegando no lago azul,
o seu navio também flutua nos MEUS verdes mares de norte a sul...”

Homenagem da FF ao Dia do Marinheiro, em 13 de Dezembro, data do nascimento do Almirante Tamandaré (Patrono da Marinha de Guerra do Brasil) – trecho do hino da Marinha de Guerra do Brasil



2 comentários:

Eroticamente (In) Correto disse...

Grandes marinheiros de nosso país. Minhas homenagens à estes homens e mulheres de farda.



Beijo do IN_

Fogo-fátuo disse...

Principalmente as mulheres né In_ rsss.