terça-feira, 29 de novembro de 2011

Latência



Estou como a música jobiniana do Brasileiro:
minha alma canta
quando vejo coisas lindas como o Rio de Janeiro.
O que me espanta
é que, sem você, nada fica inteiro.
Só a saudade... e a vontade, nada santa...

5 comentários:

Eroticamente (In) Correto disse...

E estas vontades, como que escritas em nossas testas, nos embalam e nos condenam,...



Beijo do IN_

Fogo-fátuo disse...

E como amamos essas condenações...

A C disse...

...
Estou morrendo de saudades
...
Vc foi feita pra mim
...
Seu corpo todo a balançar
...

Aventureiro Carioca disse...

MERGULHANDO EM VOCÊ

Atirada na cama, nua,
Aprecio seu corpo em cada detalhe:
O rosto que não esconde e nem revela;
A boca, delicosa, caliente,
Que, gulosamente, suga até a última gota;
Os seios que nem parecem terem amamentado;
A vulva desenhada, parecendo pouco usada,
Na qual mergulho com ânsia, com desejo,
E chupo, mordo, sugo seu suco e beijo;
As coxas deliciosamente convidativas;
E a bunda, ah, que bunda!
Delicio-me em olhar
E chego ao paraíso ao ouvi-la pedir que a penetre,
Sodomizo-a e acabo-me de gozar...
Olhar de loba,
Lingua de gata,
Rebolar de cadela,
Ancas de potranca,
Manjar dos pecadores!
Agora é só lembrar e esperar reviver
Iguais momentos de lascivo prazer...

Fogo-fátuo disse...

E balança como um samba que ainda não foi cantado mas teima em me fazer rebolar ainda que em sonhos...