quinta-feira, 19 de abril de 2012

Tesão ao mar


Ainda não dormi.
Dentro de mim há tempestade.
Saem relâmpagos de desejos por ti.
Queria era estar na tua cidade.
Ser a vela pro teu mastro - sempre firme aí.
Desfraldar-me no vento do seu tesão, perder minha identidade.
E teu corpo navegar.
Noite adentro.
Dentro e fora.
Fora e dentro.
Até perder a hora
e, não mais nos contendo,
naufragar na cama cheia de porra, suor e sentimento...


3 comentários:

Aventureiro Carioca disse...

Quer de novo? Bjs

Anônimo disse...

O Ameixador disse:

apesar que nao sou do mar,
também posso molhar.

Fogo-fátuo disse...

Toda onda boa é bom sentir de novo e de novo e de novo...